A Actividade de Engenharia Naval

A actividade de engenharia naval é essencialmente um trabalho de equipa conduzido por profissionais especializados em múltiplas áreas e disciplinas.

No entanto, é ao Engenheiro e Arquitecto Naval, que integra esta equipa, que cabe a responsabilidade técnica e a coordenação de todo o projecto, assegurando a sua execução por forma a cumprir os requisitos, nacionais e internacionais aplicáveis, de segurança e de prevenção da poluição com origem nos navios ou embarcações e nas cargas que transportam.

O exercício da profissão de Engenheiro Naval é autorizado apenas mediante a conclusão do segundo ciclo de estudos: o Mestrado em Engenharia e Arquitectura Naval.

Que competências específicas se pretende que os Engenheiros e Arquitectos Navais adquiram?
Conhecimentos sobre a variedade dos tipos de navios existentes para dar resposta aos requisitos de transporte marítimo, bem como o importante desenvolvimento das plataformas fixas, flutuantes e semi-submersíveis que servem de base à exploração dos recursos oceânicos e costeiros.
A capacidade de concepção, construção, manutenção e reparação de um conjunto variado de veículos e sistemas marítimos.
Capacidade de trabalhar com sistemas informáticos para responder às necessidades de automação da produção industrial e gestão das operações marítimas e portuárias.
Além disso, os importantes desenvolvimentos nos conceitos e métodos de planeamento, bem como o desenvolvimento das comunicações e informática, levam a que o engenheiro e arquitecto naval cada vez mais tenha a capacidade de se envolver em aspectos da operações de frotas de armadores portugueses e estrangeiros, e da interface portuária que relaciona este com os outros meios de transporte.

O Engenheiro e Arquitecto Naval, tem por isso uma vasta gama de oportunidades de fazer carreira, tanto em Portugal como no estrangeiro, relacionadas com as seguintes áreas:
• Projecto
• Consultoria
• Construção e Reparação
• Comercialização e Suporte Técnico de Sistemas e Equipamentos Marítimos
• Gestão de Operações
• Classificação, Inspecção e Regulamentação de Navios
• Docência e Investigação

Projecto
Nesta área os Engenheiros e Arquitectos Navais têm de ser criativos. Devem ter um conhecimento geral da evolução do projecto de um navio, ou seja, a função a que se destina o navio, qual o seu aspecto e a sua segurança, sendo esta de elevada importância no meio marítimo.
Os Engenheiros e Arquitectos Navais têm que ser capazes de usar modelos complexos, quer em termos físicos quer em termos matemáticos, de modo a satisfazer os requisitos técnicos necessários para a elaboração do projecto.
Quer isto dizer que as regras de segurança, as regras das Sociedades Classificadoras, as regras da IMO (International Maritime Organisation) e das organizações governamentais, devem ser cumpridas.
Um navio, embarcação ou estrutura marítima deve ser suficientemente estável e resistente nas condições de tempo mais adversas. Em termos de desempenho hidrodinâmico, é importante a utilização de meios propulsores económicos e fiáveis, e um movimento confortável em todos os estados de mar.
Os empregadores nesta área são empresas onde seja necessário desenvolver projectos de estruturas marítimas, tais como navios, plataformas e embarcações de pesca e recreio.

Consultadoria
Como consultores, os Engenheiros e Arquitectos Navais devem fornecer aos clientes soluções de engenharia, suporte técnico e comercial em projectos de novas estruturas, em construções, reparações e conversões.

Construção e Reparação
A tarefa de um Engenheiro e Arquitecto Naval na construção e reparação, é a de converter desenhos de projecto e detalhes específicos em estruturas reais.
0 Engenheiro e Arquitecto Naval é responsável pela especificação e instalação de materiais e componentes, de acordo com os sistemas inerentes ao bom funcionamento do navio incluindo o sistema de propulsão, sendo ainda responsável pelas inspecção e ensaios feitos nos navios, de acordo com as Sociedades Classificadoras e com as leis Inter-Governamentais, por forma a cumprir os requisitos, nacionais e internacionais, aplicáveis.
Um Engenheiro e Arquitecto Naval especializado na construção, desempenha habitualmente cargos de direcção, sendo responsável pela gestão e coordenação de todos os sectores do estaleiro intervenientes no processo de construção de um navio: planeamento, projecto, produção, controle de qualidade, aprovisionamento e gestão de mão-de-obra.
0 trabalho de reparação é semelhante ao de construção, sendo necessário gerir correctamente as técnicas, os materiais e o tempo de reparação. Uma outra vertente, a reparação subaquática, ocorre em situações de emergência em que o navio não pode entrar em doca seca ou em plataformas. Possuímos, nesta técnica, os melhores especialistas a nível mundial.
Os empregadores nesta área tanto podem ser grandes estaleiros navais, como podem ser estaleiros com dimensões mais reduzidas, estando ambos envolvidos na construção e reparação.

Gestão e Venda de Sistemas e Equipamentos Marítimos
A quantidade e a diversidade de sistemas existentes a bordo dos navios faz com que os Engenheiros e Arquitectos Navais estejam familiarizados com o dimensionamento, utilização e manutenção de um grande leque de tipos de equipamento. Este conhecimento torna os numa mais-valia para as empresas que os comercializam, seja na indústria naval ou noutras.

Gestão de Operações
Muitas companhias de operações marítimas têm um departamento técnico, no qual os Engenheiros e Arquitectos Navais são responsáveis por resolver problemas técnicos e comerciais que afectam economicamente as operações marítimas dessas companhias.

Classificação, Inspecção e Regulamentação de Navios
Os Engenheiros e Arquitectos Navais são responsáveis pela avaliação da segurança dos navios e de todas as estruturas marítimas de acordo com as regras das Sociedades Classificadoras, da IMO (International Maritime Organisation) e das organizações Governamentais.
Antes da fase de construção, cabe ao Engenheiro e Arquitecto Naval, avaliar os documentos técnicos necessários à construção de estruturas marítimas, nomeadamente dos navios, no que respeita à sua resistência, estabilidade, segurança e fiabilidade.
Durante a fase de construção, os inspectores das Sociedades de Classificação realizam inspecções para garantir a qualidade do trabalho efectuado e avaliar se os materiais utilizados estão de acordo com os requisitos das regras e regulamentações da construção de estruturas marítimas, nomeadamente dos navios.
Após a construção as tarefas de inspecção continuam, para garantir que os eventuais defeitos que surgem durante a vida de um navio sejam reparados de modo a manter a fiabilidade, segurança, estabilidade e resistência da todas as estruturas marítimas.

Docência e Investigação
Tal como nos restantes ramos da engenharia, a actividade de docência é também uma opção que pode ser desenvolvida nas universidades ou institutos politécnicos.
A actividade de investigação pode ser desenvolvida em universidades, em institutos governamentais ou privados. No Instituto Superior Técnico, o Centro de Tecnologia e Engenharia Naval tem linhas de investigação nas áreas seguintes:
• Ambiente Marinho
• Dinâmica e Hidrodinâmica Naval
• Estruturas Navais
• Projecto de Navios e Transporte Marítimo
• Segurança e Logística do Transporte Marítimo